terça-feira, 6 de agosto de 2019

Despedaçada (Broken #1) | Tânia Dias

Despedaçada
Sinopse: Assumir o seu papel como líder não estava nos planos de Alexia White, mas quando a sua mãe perde a vida num terrível assalto ao castelo, ela vê-se sem opções. 

Num mundo onde os fracos se distinguem dos fortes pelos dons que possuem, Alexia está no topo da lista e precisa de aprender a lidar com os seus dons se pretende recuperar Starnyz das garras do traidor. Ian Bealfire, um homem que exala arrogância e prepotência por todos os poros, parece disposto a ocupar o lugar de seu Mestre. 

Há quem diga que a jovem está destinada a salvar o mundo mas despedaçada pelas perdas que sofreu e assombrada pelas memórias do passado, será mesmo capaz de o fazer, quando nem a si parece ser capaz salvar?
Despedaçada transporta-nos para o mundo de Alexia White, uma princesa que perdeu recentemente a mãe, e que agora tem que assumir as funções que sempre negligenciou. Mas Alexia não é uma moça qualquer, ela é uma das sortudas que possui a capacidade de controlar os elementos, ou melhor tem essa potencialidade mas necessita da ajuda de um Mestre que a ensine a utilizar o seu dom. E é aqui que entra o Ian Belfire! Este mestre sedutor, irresistível, arrogante e muito inteligente quer a todo o custo conquistar o coração de Alexia. Será que vai conseguir?



Tenho que dizer que para primeiro livro este está muito bom, mas confesso que de início, e até meio do livro, achei-o um pouco confuso e de desenvolvimento lento. Senti que não tinha as informações que precisava para ter uma visão geral deste mundo em que as pessoas podem dominar os elementos. Gostava que isso tivesse sido um pouco mais explorado porque afinal nós não sabemos exatamente o que existe neste mundo mágico e até parece que nem a própria Alexia sabe visto que faz uma pergunta nas últimas páginas (que não posso especificar para não spoilar) que me fez questionar "Então ela não sabe estas coisas? Ok que negligenciou os seus estudos mas há um básico que se tem que saber para simplesmente viver...". Sabemos que existem determinadas criaturas mágicas que são mencionadas em alguns momentos do livro, mas e que mais? Além disso, a história tem falhas ao nível do português, algumas incoerências, personagens que mereciam um desenvolvimento maior, mas ainda assim é um mundo cativante e que nos faz querer descobrir mais e mais!

Quando chegamos ao fim do livro não há pontas soltas e gostei muito disso!

Gostei do crescimento da Alexia ao longo do livro. No início não me conseguia identificar com esta personagem, mas por fim ela conquistou-me. Alexia cresceu tanto e abraçou sem medo a pessoa que tem que ser para liderar o seu povo e esse crescimento é muito bonito de se ver. Em relação ao protagonista masculino, o Ian Belfire, achei-o muito superficial e só comecei a gostar dele lá para o fim do livro. Em parte achei-o muito cliché, demasiado arrogante e inconsistente com as suas atitudes e só quando as personagens tinham momentos em que ficavam sozinhas, sem distrações, é que senti que o romance começou a ser melhor explorado e realmente as personagens começaram a revelar o seu enorme potencial.

E o ship? Não sei bem se sou #TeamIan ou #TeamAaron, mas gostava que o Aaron tivesse mais oportunidades de mostrar aquilo que traz de bom para a Alexia pois até agora sinto que ele só a prende e não a deixa evolui. Precisamos de mais momentos entre a Alexia e o Aaron para ver efetivamente a relação deles.

O final deixa-nos a querer ler o próximo livro e adorei isso, porque para um livro cuja leitura não me agarrou no início a autora conseguiu dar a volta, aumentar a tensão do enredo e deixar-me sem fôlego, de borboletas na barriga e a querer ansiosamente ler o próximo volume.

Já leste este livro? Se sim, o que achaste? Se não, do que estás à espera para o ler? 😉

Classificação: ★★★

Compra aqui: Wook | Bertrand

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela autora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas.

Com amor, Brenda

0 comentários:

Enviar um comentário