sábado, 11 de julho de 2020

A Décima Ilha (The Tenth Island) | Diana Marcum


Sinopse:
A repórter Diana Marcum está a sofrer uma crise. Envolvida por uma tristeza pessoal há muito enterrada - e com a sua carreira parada - descobre um grupo incomum de imigrantes que moram na zona rural da Califórnia. Ela segue-os, na sua viagem anual de regresso às remotas ilhas dos Açores, onde os touros correm pelas ruas, existem vulcões ativos e as pessoas inventam festas para combater a saudade - um sentimento tão profundo que a palavra não tem tradução para outros idiomas.

Uma viagem pelas ilhas dos Açores, onde a repórter Diana Marcum, com a companhia do seu labrador Murphy, descobre que ainda existem coisas pelas quais anseia - e uma delas poderá ser um amor inesperado.
Se esperam que este seja um daqueles livros de viagens, quase como um guia gastronómico ou cheio de lugares tipicamente turísticos, não se iludam. 

A Décima Ilha é sim um livro sobre viagens, mas não propriamente de viagens por sítios físicos, mas por pessoas. Conhecemos as histórias de emigrantes que todos os anos retornam à ilha mãe e conhecemos a autora que cresceu espiritualmente e se tornou numa açoriana de coração. 💙

Gostei muito do livro, mas enquanto açoriana, gostava que ela se envolvesse mais com o sítio, que tivesse descrito mais a ilha, se tivesse envolvido mais com as pessoas da Terceira e não se baseasse apenas em ouvir pedaços das suas histórias. Mas também entendo que ela não é propriamente uma turista "normal", ela não veio visitar pelo sítio em si, veio perceber o fenómeno que move estas pessoas a regressar todos os anos. Diana faz um papel de observadora e o seu dom é ouvir e recolher histórias que as pessoas estão dispostas a contar. 

A Décima Ilha é uma tentativa de mostrar como é um verão para os emigrantes e é um relato cru, sem descrições desnecessárias, do que é o regresso a casa de pessoas que tiveram que ir para longe procurar uma vida melhor. 

Compra o livro: Cultura Editora | Wook | Bertrand

Este livro só provou uma coisa: quem visita as ilhas leva um bocadinho de nós e deixa um pouco de si aqui.

Não há hipótese, quem nos visita fica tão dependente de um regresso como um toxicodependente à espera da próxima dose! Mas venham é aos Açores, ok? Que esse seja o vosso vício!

Agradeço à Cultura Editora pela cedência do exemplar!

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Com amor, Brenda 

In English:

Synopsis:
From a Pulitzer Prize–winning writer comes an exuberant memoir of personal loss and longing, and finding connection on the remote Azorean Islands of the Atlantic Ocean.

Reporter Diana Marcum is in crisis. A long-buried personal sadness is enfolding her—and her career is stalled—when she stumbles upon an unusual group of immigrants living in rural California. She follows them on their annual return to the remote Azorean Islands in the Atlantic Ocean, where bulls run down village streets, volcanoes are active, and the people celebrate festas to ease their saudade, a longing so deep that the Portuguese word for it can’t be fully translated.

Years later, California is in a terrible drought, the wildfires seem to never end, and Diana finds herself still dreaming of those islands and the chuva—a rain so soft you don’t notice when it begins or ends.

With her troublesome Labrador retriever, Murphy, in tow, Diana returns to the islands of her dreams only to discover that there are still things she longs for—and one of them may be a most unexpected love.

An Amazon Charts Most Read book.

If you expect this to be one of those travel books, almost like a gastronomic guide or full of typical tourist places, make no mistake, it isn't.

The Tenth Island is indeed a book about travelling, but not exactly travelling through physical places, but by people. In this book we discover the stories of emigrants who return to the mother island every year and we get to know the author who grew up spiritually and became an Azorean at heart. 💙

I really liked the book, but as an Azorean, I would like it to be more involved with the island itself, I would loved to have read more descriptions about the island itself, to have been more involved with the people of Terceira and not to rely solely on listening to pieces of their stories. But I also understand that Diana is not exactly a "normal" tourist, she did not come to visit the place itself, she came to understand the phenomenon that moves these people to return every year. Diana is an observer and her gift is to listen and collect stories that people are willing to tell.

The Tenth Island is an attempt to show what a summer is like for emigrants and is a raw report, without unnecessary descriptions, of what it is like to return home to people who had to go far away to look for a better life.

This book proved just one thing: anyone who visits this islands takes a little bit of us and leaves a little bit of himself/herself here.

There's no chance, whoever visits us is as dependent on a return as a drug addict waiting for the next dose! But come to the Azores, ok? May this be your addiction!

I would like to thank Cultura Editora for providing the copy!

Disclaimer: This book was sent to me by the publisher in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

Rating: ★★★★☆ (4/5)

With Love, Brenda 

quinta-feira, 2 de julho de 2020

#25anos25posts: Embolden | Syrie James & Ryan M. James

Se gostaste de "Hush, Hush" vais amar estes livros! 

Sinopse: 
The world is trying to tear them apart. 
Will they stand together and fight back? 

After a season of psychic visions and super-powered drama, Claire Brennan and her angel-gone-AWOL boyfriend Alec MacKenzie can finally be together. Under the protection of Claire's grandmother, they are trying to lead a normal life, going to high school at Emerson Academy and hanging out with their friends. 

But jealous teenagers, vengeful enemies, the city's new Watcher, and even the school play threaten to break them apart. Not to mention Claire's surprising second power, which could sabotage the trust of everyone she holds dear. And just when they need to stick together, they finally get a lead on where Claire's missing father might be. 

The threats, which come not only from without but also from within, will test the strength of Alec and Claire's relationship. Is the love they share enough to keep them safe? If they want to stay together … can they learn to fight together?
Este livro é a continuação da aventura de Claire Brennan em Forbidden, o primeiro livro da coleção. 

Depois de no primeiro livro ter descoberto que possui poderes de anjo, por ser filha de um anjo e de uma humana, Claire parte em busca do pai, desaparecido há 16 anos. 

No meio de visões, novas descobertas, amigas invejosas, problemas familiares, mentiras e desentendimentos no namoro, neste livro andamos num rodopio de emoções em comparação com o primeiro livro. 

Confesso que com este livro fiquei muito mais preocupada com a Claire e com o seu destino, porque damn, que complicações! 

Mas a Claire mostrou do que é feita e não deixou que fossem os outros a salvá-la. Tomou grandes decisões para uma pessoa que descobriu as suas origens e reais capacidades recentemente. 

O que não gostei foi de alguma arrogância da Claire e do facto de logo a seguir a terem falado na possibilidade de um segundo poder, a Claire o ter descoberto. Penso que se podia ter dado mais tempo para a história se desenvolver. Pareceu forçado. 

Senti também que neste livro a relação entre o Alec e a Claire, cujo romance nós nos apercebemos que ia acontecer desde o primeiro olhar, tornou-se mais sólido e não um mero romance de adolescente como vemos em tantos livros. Gostei mesmo muito do crescimento destes dois enquanto namorados e amigos, mas acima de tudo enquanto pessoas. 

E se amei a amizade da Claire e do Neil? Sem dúvida. Adorei que não transformassem o livro noutro romance com triângulo amoroso e sim dessem uma perspectiva real do que são os vários tipos de amizade que podemos ter ao longo da vida. 

Gostaria de agradecer ao autores pela cedência do exemplar via netgalley! 

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Com amor, Brenda 


In english:


If you liked "Hush, Hush" you will love these books! 

Synopis: 
The world is trying to tear them apart. 
Will they stand together and fight back? 

After a season of psychic visions and super-powered drama, Claire Brennan and her angel-gone-AWOL boyfriend Alec MacKenzie can finally be together. Under the protection of Claire's grandmother, they are trying to lead a normal life, going to high school at Emerson Academy and hanging out with their friends. 

But jealous teenagers, vengeful enemies, the city's new Watcher, and even the school play threaten to break them apart. Not to mention Claire's surprising second power, which could sabotage the trust of everyone she holds dear. And just when they need to stick together, they finally get a lead on where Claire's missing father might be. 

The threats, which come not only from without but also from within, will test the strength of Alec and Claire's relationship. Is the love they share enough to keep them safe? If they want to stay together … can they learn to fight together?
This book is the continuation of Claire Brennan's adventure from Forbidden (review posted last week).

After Forbidden where we discovered that she possesses angel powers, because she's half-angel, Claire leaves in search of her father, who disappeared 16 years ago. 

In the midst of visions, new discoveries, jealous friends, family problems, lies and disagreements, in this book we are in a whirl of emotions compared to the first one. 

I confess that with this book I was much more concerned about Claire and her destiny, because damn, there were so many complications! 

But Claire showed us her strenght and didn't let the others save her: she was her hero! She made great decisions for a person who discovered their origins and actual abilities recently. 

I did not like was some of Claire's arrogance and the fact that shortly after the characters talked about the possibility of a second power, Claire discovered it right after. I think the authors could have given more time for the story to unfold. This situation seemed a little bit forced to me. 

I also felt that in this book the relationship between Alec and Claire, whose romance we realized was going to happen from the first glance, became more solid and not a mere teenage romance as we see in so many books. I really enjoyed the growth of these two as a couple, as friends, but above all as individuals. 

Did I loved Claire and Neil's friendship? No doubt. I loved that they did not turn the book into another romance with a love triangle and instead, they give a real perspective on what the various types of friendship we can have throughout our lives. 

I would like to thank to the authors for allowing me to read this book via netgalley! 

Disclaimer: This book was sent to me by the publisher in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

Rating: ★★★★☆ (4/5)

With Love, Brenda 

sábado, 27 de junho de 2020

#25anos25posts: Forbidden | Syrie James & Ryan M. James

(in english below)

Este livro foi-me amavelmente cedido pela editora HarperTeen, por isso tenho de agradecer desde já a esta editora incrível! Fiz o pedido para aceder ao livro "Embolden", o segundo livro desta saga - porque a história da minha vida é pedir e até mesmo comprar os livros #2 e #3 de coleções e só me aperceber disso depois - e quando o pedido foi aceite a editora mandou-me um email com o primeiro livro, caso eu não o tivesse lido. Não foram uma simpatia? 

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 


Em Forbidden é contada a história de Claire Brennan, uma miúda de 16 anos que descobre que tem um dom: ela tem visões. Claire começa então por ver pequenas coisas, até que as suas visões psíquicas a começam a levar por caminhos que ela não esperava: algo lhe diz que a sua vida está em risco. 

Alec MacKenzie é o rapaz novo da escola que esconde um segredo: ele é um anjo que desertou. Alec foi para Los Angeles para tentar viver uma vida normal, mas não esperava encontrar uma rapariga metade-anjo, Claire, que lhe poderá trazer problemas nesta tentativa de viver uma vida normal de adolescente. 

Então, neste livro, Claire descobre que o seu pai era um anjo que se envolveu com a sua mãe humana, um ato proibido no mundo dos anjos, e que ela nem devia existir.

No meio de tantas descobertas, sobre si mesma, sobre a sua família e sobre o risco que corre, Claire descobre também um novo amor. Mas será que vai conseguir manter esta relação proibida?

As personagens secundárias são das melhores que já li em romances. Estão muito bem construídas para o seu propósito, como, por exemplo, os melhores amigos de Claire, Erica e Brian, que são pessoas reais, leais e que representam exatamente aquilo que uma amizade deve ser. Eles apoiam incondicionalmente a nossa protagonista e, por isso, ela sabe que pode pô-los a par de tudo o que se passa na sua vida pois eles vão estar lá para ela. Erica e Brian são daquelas amizades que qualquer pessoa deseja ter em qualquer momento da sua vida. Além disso, este é um livro de adolescentes com personagens que efetivamente agem como adolescentes e não um livro de adolescentes com personagens com atitudes extremamente maturas para quem tem 16 ou 17 anos. 

É impossível ler este livro e não nos lembrarmos de Hush Hush e tenho que vos dizer: o Alec põe o Patch a um canto. E a relação entre o Alec e a Claire então... Ui! Que amor! A minha parte favorita é que o Alec não faz sombra à Claire, eles ajudam-se um ao outro, tentam sempre resolver as coisas e, acima de tudo, mantêm uma relação equilibrada. 

Quando acabei o livro fiquei agradecida por já ter acesso ao livro seguinte porque era inevitável não estar curiosa com o futuro da Claire e dos seus amigos. 

Classificação: ★★★★☆

Com amor, Brenda 


In english:


This book was kindly given to me by HarperTeen, so I have to thank this incredible publisher right now! I made the request to access the book "Embolden", the second book in this saga - because the story of my life is to ask for and even buy books # 2 and # 3 of collections and only realize it later - and when the request was accept the publisher sent me an email with the first book, in case I hadn't read it. Were they not a sympathy?

Disclaimer: This book was sent to me by the publisher in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

Forbidden tells the story of Claire Brennan, a 16-year-old girl who discovers she has a gift: she has visions. Claire then begins to see little things, until her psychic visions begin to take her on paths she did not expect: something tells her that her life is at risk.

Alec MacKenzie is the new boy at school who hides a secret: he is an angel who defected. Alec went to Los Angeles to try to live a normal life, but he did not expect to find a half-angel girl, Claire, who could get him into trouble in trying to live a normal teenage life.

Then, in this book, Claire discovers that her father was an angel who became involved with her human mother, an act prohibited in the world of angels, and that she should not even exist.

In the midst of so many discoveries, about herself, about her family and about the risk she runs, Claire also discovers a new love. But will you be able to keep this relationship forbidden?

The secondary characters are some of the best I've read in novels. They are very well built for their purpose, as, for example, Claire's best friends, Erica and Brian, who are real, loyal people and who represent exactly what a friendship should be. They unconditionally support our protagonist and, therefore, she knows that she can bring them up to date with everything that goes on in her life as they will be there for her. Erica and Brian are one of those friendships that anyone wants to have at any time in their life. In addition, this is a book of teenagers with characters who effectively act like teenagers and not a book of teenagers with characters with extremely mature attitudes for those who are 16 or 17 years old.

It is impossible to read this book and not remember Hush Hush and I have to tell you: Alec puts Patch in a corner. And the relationship between Alec and Claire then ... Ui! How sweet! My favorite part is that Alec doesn't shade Claire, they help each other, always try to work things out and, above all, maintain a balanced relationship.

When I finished the book I was grateful to have access to the next book because it was inevitable not to be curious about the future of Claire and her friends.

Rating: ★★★★☆

With love, Brenda

segunda-feira, 22 de junho de 2020

#25anos25posts - 5 factos sobre mim

(in english below)

No contexto do projeto #25anos25posts , pensei que seria interessante apresentar-vos factos sobre mim, mais especificamente, 5 factos sobre mim (e aproveito para responder a um dos temas que tenho em atraso do #bookstagrampor30dias). Ora cá vão: 

1. Eu adoro flores. Adoro tirar foto a flores, plantinhas e pequenos detalhes da natureza. 

2. Adoro ler romances de época/históricos, mas Deus me livre de viver naquela altura. Os cheiros, a pouca higiene, a falta de casas de banho, os poucos direitos das mulheres... 🤢

3. Sou aquela pessoa que chora com um filme, uma série, uma folha a ficar castanha no outono, outra pessoa a chorar... Sou aquela pessoa que tem um coração que não aguenta com nada nadinha. Sou caranguejo, acho que isso diz muito sobre mim... 😹

4. Adoro estar em casa. Tipo, sou aquela pessoa quando alguém vai a um jantar, uma festa, um arraial whatever, eu fico em casa a fazer companhia à gata 😹😇 

5. Fiz teatro durante 4 anos e tenho imensas saudades, não propriamente de atuar, mas de me juntar todas as quartas feiras com pessoal fixe que gostava de ser espontâneo. Ando a rever Glee e opah, todos os episódios me lembro do CTED (que por acaso foi onde conheci a minha linda e querida amiga Miriam The Mermaid). 

Espero que tenham gostado de saber algumas coisas sobre mim. Digam-me agora vocês alguns factos sobre vocês nos comentários 😘

Com amor, Brenda

In english:


In the context of the project #25anos25posts, I thought it would be interesting to present you facts about me, more specifically, 5 facts about me (and answer a late post from the challenge #bookstagrampor30dias). Here it goes:

1. I love flowers. I love taking pictures of flowers, plants and small details of nature.

2. I love historical romances, but God forbid me to live at that time. The smells, poor hygiene, lack of bathrooms, women's few rights ... 🤢

3. I am that person who cries with a film, a series, a book, a leaf turning brown in fall, another person crying... I am that person who has a heart that can't take anything at all. I'm Cancer, I think that says a lot about me ... 😹

4. I love being at home. I'm that person that when someone goes to a dinner party, a party, whatever, I stay at home keeping the cat company 😹😇

5. I did theater for 4 years and I miss it a lot, not exactly acting to an audience part, but to join every Wednesday with cool people who liked to be spontaneous. I've been seeing Glee and every episode I remember the teather club at my school (which happened to be where I met my beautiful and dear friend Miriam The Mermaid).

I hope you liked to know this few things about me. Tell me now some facts about you in the comments. 😘

With Love, Brenda

domingo, 21 de junho de 2020

#25anos25posts - Um ser especial

Este é o primeiro post da minha série #25anos25posts , em que publicarei 25 posts no instagram até ao meu aniversário. E irei conciliar este meu projeto com o desafio do Bookstagram por 30 dias da Celly do Me Livrando que dura até ao fim do mês.

Esta série de posts não podia começar de outra forma: a relembrar o meu Miyagi. Hoje faz um ano que o vi pela última vez.

Para quem está atento às minhas redes sociais já se apercebeu que costumo publicar coisas do meu gatinho estrelinha.

Mas, um ano depois, há ainda pessoas que continuam sem compreender porque continua a doer a morte do meu Miyagi. 

Repito o que disse no ano passado: Não, não é "só um gato", é um membro da família, um ser que ganhou o meu afeto profundo e que recebeu todo o amor que lhe pude dar.


Por isso deixo-vos um texto que encontrei e achei que devia partilhar convosco (a tradução está a seguir ao texto original):

"Just this side of heaven is a place called Rainbow Bridge.
When an animal dies that has been especially close to someone here, that pet goes to Rainbow Bridge. There are meadows and hills for all of our special friends so they can run and play together. There is plenty of food, water and sunshine, and our friends are warm and comfortable.

All the animals who had been ill and old are restored to health and vigor. Those who were hurt or maimed are made whole and strong again, just as we remember them in our dreams of days and times gone by. The animals are happy and content, except for one small thing; they each miss someone very special to them, who had to be left behind.

They all run and play together, but the day comes when one suddenly stops and looks into the distance. His bright eyes are intent. His eager body quivers. Suddenly he begins to run from the group, flying over the green grass, his legs carrying him faster and faster.

You have been spotted, and when you and your special friend finally meet, you cling together in joyous reunion, never to be parted again. The happy kisses rain upon your face; your hands again caress the beloved head, and you look once more into the trusting eyes of your pet, so long gone from your life but never absent from your heart.

Then you cross Rainbow Bridge together...." - Anónimo
"Neste lado do paraíso existe um lugar chamado Ponte do Arco-Íris.

Quando um animal morre, aqueles que foram especialmente queridos por alguém, vai para a Ponte do Arco-Íris. Lá existem campos e colinas para todos os nossos amigos especiais, pois assim eles podem correr e brincar juntos. Lá existe abundância de comida, água e raios de sol, e nossos amigos estão sempre aquecidos e confortáveis. 

Todos os animais que já ficaram doentes e velhinhos estão renovados com saúde e vigor; aqueles que foram machucados ou mutilados estão perfeitos e fortes novamente, exatamente como nós nos lembramos deles nos nossos sonhos, dos dias que já se foram.

Os animais estão felizes e alegres, exceto por uma coisinha: Cada um deles sente saudades de alguém muito especial, alguém que foi deixado para trás. Todos eles correm e brincam juntos, mas chega um dia quando um deles pára de repente e olha fixo na distância. Seus olhos brilhantes estão atentos; seu corpo impaciente começa a tremer levemente. De repente, ele se separa do grupo, voando por sobre a grama verde, mais e mais rápido. 

Você foi visto e quando você e seu amigo especial finalmente se encontrarem ficarão unidos num reencontro de alegria, para nunca mais se separar. Os beijos de felicidade vão chover na sua face; suas mãos vão novamente acariciar tão amada cabecinha, e você vai olhar mais uma vez dentro daqueles olhos cheios de confiança, que há muito tempo haviam partido da sua vida, mas que nunca haviam se ausentado do seu coração. 

Então vocês, juntos, cruzarão a ponte do Arco-Íris."
(fonte da tradução: Defensores dos Animais)
Deixo-vos também o vídeo que fiz no ano passado:


Com amor, Brenda

sábado, 13 de junho de 2020

Killian's Dead (Seekers #0.5) | Josie Jaffrey



Para quem segue o meu blog há pelo menos 1 ano, sabe que sou parceira da Josie e de tempos a tempos trago uma novidade dela. Adoro o seu trabalho e, por isso, parceria à parte, quero ler tudo o que ela escreve! Desde que li The Gilded King sou fã das aventuras que a Josie nos conta, tanto que quando acabei a saga Sovereign, comprei o primeiro da saga Solis Invicti, que cronologicamente vem antes da que li.

Adoro que a Josie tenha despertado em mim o amor por vampiros que ficou adormecido durante anos.

Killian's Dead é uma prequela da série Seekers cujo primeiro livro será lançado a 9 de julho.

Em Killian's Dead conhecemos Jack, uma moça que que adora música e a sensação que lhe proporciona. Uma noite conhece Winta, uma mulher sedutora e misteriosa, com quem conversa durante horas e se conecta como nunca se conectou com ninguém.

Tudo parece destinado a se tornar um romance épico, até que Winta desaparece e Jack não consegue esquecer o assunto... e não sabe na trapalhada em que se vai meter.

Tudo acontece muito rápido e não fiquei muito convencida desta paixão súbita que Jack diz sentir. Pareceu-me demasiado rápido, mas sei lá, de repente sou eu que nunca senti algo assim tão súbito que me levasse a arriscar a minha vida por alguém que apenas conheci por poucas horas! ahah É certo que a ligação delas parece diferente e especial, mas questiono-me se não será algum tipo de encantamento de vampiros ou algo assim.

Acho que esta shortstory podia ter sido um bocadinho maior, mas entendo que o seu propósito tenha sido deixa-nos com uma pitada da história que está para vir e a Josie só queria plantar uma semente para ficamos curiosos e querer descobrir o que se segue.

Quem são os "Seekers"? O que significa a última cena de Killian's Dead? Será que Mayday vai começar onde este livro termina? Será que os vampiros desta série são iguais aos de Sovereign? Mal posso esperar por descobrir tudo!

De qualquer das formas descobrirei tudo no primeiro livro da série Seekers, May day, que será lançado a 9 de julho!

Esta história foi lançada no dia 4 de junho e podem adquiri-la em: Amazon | Página da Autora

Para adquirir o "May day", primeiro livro da coleção Seekers: Amazon | Página da Autora

Classificação: ★★★☆☆ (3/5) 

Com amor, Brenda

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela autora em troca de uma opinião honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são verdadeiras e completamente minhas.

Review in english

For those who follow my blog for at least 1 year, know that I am a partner of Josie and from time to time I bring news about her work. I love her work and, therefore, partnership aside, I want to read everything she writes! Since I read The Gilded King I am a fan of the adventures that Josie tells us, so much so that when I finished the Sovereign serie, I bought the first of the Solis Invicti saga, which chronologically comes before the one I read.

I love that Josie has awakened in me the love for vampires that has been asleep for years.

Killian's Dead is a prequel to the Seekers series whose first book will be released on July 9th.

In Killian's Dead we meet Jack, a girl who loves music and the feeling it gives her. One night she meets Winta, a seductive and mysterious woman, with whom she talks for hours and connects as she has never connected with anyone.

Everything seems destined to become an epic romance, until Winta disappears and Jack can't forget the subject... and she doesn't know how much trouble she's getting herself into.

I feel that everything happens so fast and I was not convinced of this sudden passion that Jack says she feel. It seemed too fast, but I don't know, I never felt a passion so sudden that it would lead me to risk my life for someone I only knew for a few hours! ahah It is true that their connection seems different and special, but I wonder if it is some kind of vampire enchantment or something.

I think this shortstory could have been a little bit longer, but I understand that its purpose was to leave us with a taste of the events that are about to come, not giving a lot of answers, so Josie planted a seed for us to be curious to find out what follows.

Who are the "Seekers"? What does the last scene of Killian's Dead mean? Will May day start where this book ends? Are the vampires in this series the same as Sovereign's? I can't wait to find out everything!

Either way, we'll find out everything in Seekers #1 (May day) which will be released on July 9th!

Killian's Dead is out since june 4th and you can purchase it on: Amazon Josie's page

To buy "Mayday", Seekers #1: Amazon | Josie's page

Rating: ★★★☆☆ (3/5) 

With Love, Brenda

Disclaimer: This book was sent to me by the author in exchange for an honest opinion. All opinions expressed in this review are true and completely mine.

sexta-feira, 5 de junho de 2020

REVIEW: The Ballad Of Songbirds And Snakes: A Hunger Games prequel by Suzzane Collins

(english review after the portuguese one) 
Sinopse:

Ambition will fuel him.
Competition will drive him.
But power has its price.

It is the morning of the reaping that will kick off the tenth annual Hunger Games. In the Capitol, eighteen-year-old Coriolanus Snow is preparing for his one shot at glory as a mentor in the Games. The once-mighty house of Snow has fallen on hard times, its fate hanging on the slender chance that Coriolanus will be able to outcharm, outwit, and outmaneuvre his fellow students to mentor the winning tribute.

The odds are against him. He's been given the humiliating assignment of mentoring the female tribute from District 12, the lowest of the low. Their fates are now completely intertwined - ; every choice Coriolanus makes could lead to favour or failure, triumph or ruin. Inside the arena, it will be a fight to the death. Outside the arena, Coriolanus starts to feel for his doomed tribute... and must weigh his need to follow the rules against his desire to survive no matter what it takes.

Informativo. Lento. Aquém das expectativas.

Com estas palavras resumo o livro que, para mim, era o mais aguardado do ano.

Lançado a 19 de maio, este era o livro que todos os fãs dos Hunger Games esperavam e que prometia trazer novidades e mais ação focada no ainda tão desconhecido mundo de HG.

Quem criou os HG? Sempre tiveram este formato? Terá sido o Snow sempre aquele tirano que conhecemos na trilogia? Ou melhor, será este livro uma tentativa de humanização de mais um vilão?

Honestamente senti que o livro ficou bem aquém do esperado. Apesar da quantidade de informação e pistas que nos vão sendo dadas senti que o livro foi aborrecido a maior parte do tempo.

The Ballad of Song Birds and Snakes é dividido em três partes e a certa altura começa a 10.º edição dos Jogos da Fome. E é aí que percebemos a grande diferença destas primeiras edições para a edição 74 em que a Katniss e o Peeta participaram.

E percebemos porque é que o Snow odeia tanto a Katniss...

Estes são os primeiros HG em que há mentores e em que se tenta criar formas de atrair a público a assistir a este espetáculo doentio. E uma das partes mais interessantes foi precisamente essa: perceber como até o próprio Snow foi moldado e ajudou a moldar os Jogos até ao que eles se tornaram, sendo que no início nem ele próprio sabia o real propósito dos Jogos da Fome.

O livro é aborrecido por um lado, porque, claro, não estamos a ler a narrativa contada por um tributo em risco de vida na arena, mas da perspectiva de um mentor, um menino privilegiado do Capitólio que nada mais tem a perder do que a sua reputação e, por isso, a história avança a um ritmo diferente do da trilogia. 

Para um livro que prometia um regresso fenomenal deste mundo e para o qual já há confirmação de adaptação cinematográfica, devia ter incluído cenas que nos fizessem temer pelas personagens e de certa forma nos mostra-se uma evolução mais evidente do Snow. Daquilo que percebi não houve propriamente um ponto de viragem da personagem, ele simplesmente sempre foi assim no seu âmago.

Uma boa parte inicial do livro tenta convencer-nos que a situação dele é compreensível, com todos os problemas da sua família e o seu historial, mas não há como enganar. Dá para perceber perfeitamente, pelas atitudes inconsistentes dele, que ele sempre foi psicopatazinho e só precisou de uns empurrões para começar a inchar o ego e evoluir para o tirano em que se tornou. 

Este livro só veio confirmar a raiva que o Snow me dá. Consegue não ter coração e ao mesmo tempo fingir que o tem (mas para quem leu HG já sabe que não se deve iludir, não nos deixamos iludir pelas suas atitudes queridas). A certa altura ele toma uma atitude que me emocionou... de raiva, DE RAIVA! Já esperava que ele fosse "todo Capitólio", mas dói ver que ele só se preocupa consigo mesmo a toda a hora. E penso que era mesmo esse o objetivo da Suzanne Collins: falhar epicamente em humanizar este vilão, porque não há forma de justificar as ações dele. Cornelius Snow faz tudo a pensar em si e no nome da família.

Se vocês soubessem o drama que foram as primeiras 10 páginas por causa de uma t-shirt para ele levar para a cerimónia de atribuição de mentorias... Foi aí que percebi que as tentativas de o humanizar e de o compreendermos iam ser falhadas.

O pior deste livro é teres que o ler da perspetiva de um personagem com o qual não te conectas e esperas que morra (mas que sabes que não morre porque isto é uma prequela e o demónio dura mais umas décadas). O que me fez avançar no livro foram as pequenas coisas que vão sendo contadas e que, como fã dos Hunger Games, me vão alimentando a curiosidade (e o resultado disso é a quantidade de post-it's que gastei!).

Sobre a Lucy Gray, a miúda de quem ele foi mentor, confesso que a minha primeira impressão não foi das melhores, mas depois de descobrir a sua história e o porquê de ter agido assim na Ceifa, fiquei fã dela! Gostei muito da evolução desta personagem (tal como gostei da evolução consistente do Sejanus, outro moço que foi mentor).

Não me interpretes mal, se és fã desta saga vais adorar as pequenas coisas que te são dadas e consegues associar a momentos chave da trilogia, mas entra no livro sem grandes expectativas.

E este fim?? Fiquei de boca aberta com o final, completamente chocada, mas continuou sem mudar a minha opinião de todo o livro...!

Classificação: ★★★☆☆ (3,5 estrelas)

Com amor, Brenda


In English now:

Informative. Slow. Did not fullfill my expectations.

With these words I summarize the book that, at least for me, was the most awaited of the year.

Published on May 19th, this was the book that all Hunger Games fans expected and that promised to bring news and more action focused on the still-unknown world of HG.

Who created the HG? Have it always had this format? Was Snow always the tyrant we knew in the trilogy? Or rather, is this an attempt to humanize this villain?

I honestly felt that the book was far below expectations. Despite the amount of information and clues given to us, I felt that the book was boring most of the time.

The Ballad of Songbirds and Snakes is divided into three parts and at a certain time occurs the 10th edition of the Hunger Games. And that's when we realized the big difference of these first editions relatively to the 74th edition in which Katniss and Peeta participated.

And we understand why Snow hates Katniss so much ...

These are the first HG in which there are mentors and they are trying to create ways to attract public to watch this sick spectacle. And one of the most interesting parts was precisely this: realizing how even Snow himself was shaped and helped to shape the Hunger Games up to what they became, even though at first he didn't even know the real purpose of the Hunger Games.

The book is boring on the one hand, because, of course, we are not reading the narrative told by a life-threatening tribute in the arena, but from the perspective of a mentor, a privileged Capitol boy who has nothing more to lose than the its reputation and, therefore, history advances at a different pace from the trilogy.

For a book that promised a phenomenal return from this world and for which there is confirmation of a film adaptation, it should have included scenes that made us fear for the characters and it should have shown us a more evident evolution of Snow. From what I realized there wasn't exactly a turning point for this character, he was evil from his core.

A good part of the initial book tries to convince us that his situation is understandable, with all the problems of his family and his history, but there is no mistaking it. You can see perfectly, by his inconsistent attitudes, that he was always a little psychopath and only needed a few shakes to start to inflate his ego and evolve into the tyrant he became.

This book only confirmed my anger towards Snow. He manages not to have a heart and at the same time pretend to have it (but for those who have read HG, we are not deceived by his sweet atitudes). At a certain point he has an attitude that moved me ... with anger, ANGER! I already expected him to be "all Capitol boy", but it hurts to see that he only cares about himself all the way. And I think that was exactly the Suzanne Collins's goal: to epically fail to humanize this villain, because there is no way to justify his actions. Cornelius Snow does everything thinking about himself and his family name.

If only you knew the drama that was the first 10 pages because of a t-shirt he was going to wear at the mentoring assignment ceremony... That was when I realized that the attempts to humanize and understand him were going to be unsuccessful.

The worst part of this book is that you have to read it from the perspective of a character you don't connect with and expect to die (but you know he will not die because this is a prequel and the demon lasts a few more decades). What made me go forward in the book were the little things that are being told and that, as a Hunger Games fan, feed my curiosity (and the result was a lot of post-its spent).

About Lucy Gray, the girl he mentored, I confess that my first impression was not the best, but after discovering her story and why she acted like that at Reapping, I became a fan of her! I really liked the evolution of this character (as I liked the consistent evolution of Sejanus, another young man who was a mentor).

Don't get me wrong, if you are a fan of the Hunger Games trilogy you will love the little things that are given to you in this book and you can associate them with key moments in the trilogy, but start reading the book without high expectations.

And this end ?? I was amazed at the ending, completely shocked, but it continued without changing my opinion of the whole book ...!

Rating: ★★★☆☆ (3,5 stars)

With love, Brenda :)