terça-feira, 19 de junho de 2018

A Melodia do Amor de Lesley Pearse





Sinopse:  Liverpool, 1893. Os sonhos de Beth são desfeitos quando ela, o irmão Sam e a irmã mais nova, Molly, ficam órfãos. As suas vidas, até então tranquilas e seguras, sofrem uma dramática reviravolta. Para escapar a um futuro de miséria e servidão, Sam e Beth decidem arriscar tudo, atravessar o Atlântico e partir à conquista do sonho americano. Mas Molly é demasiado pequena para os acompanhar e os irmãos vêem-se obrigados a tomar uma decisão que os marcará para sempre: deixá-la em Inglaterra, a cargo de uma família adoptiva. 
A bordo do navio para Nova Iorque não faltam vigaristas e trapaceiros, mas o talento de Beth com o violino conquista-lhe a alcunha de Cigana, a amizade de Theo, um carismático jogador de cartas, e do perspicaz Jack. Juntos, os jovens vão começar de novo num país onde todos os sonhos são possíveis. 
Para a romântica Beth, esta será a maior aventura da sua vida. Conseguirá a Cigana voltar a encontrar um verdadeiro lar? 

Uma história de amor incondicional e coragem sem limites. Um livro irresistível, da autora de Nunca me EsqueçasProcuro-te e Segue o Coração.

🌳

"A Melodia do Amor" é o primeiro livro que leio da Lesley Pearse e tenho a dizer que gostei MUUUITO deste livro!

Neste livro é contada a história de Beth e do seu irmão, Sam, quando estes se vêem subitamente em dificuldades e decidem partir para a América, a terra onde os sonhos são realizados e fortunas amealhadas.

É notável o crescimento dos personagens ao longo do livro, o que consideravam certo e errado no início foi completamente alterado pelas experiências e vivências pelas quais passaram.

Incrível como as dificuldades os tornaram mais duros e como a escritora conseguiu criar ficção baseada em eventos que realmente aconteceram.

As descrições dos locais estão muito bem feitas, o que nos ajuda a entender todo o ambiente envolvente. Senti-me nos saloons com Beth, senti-me na perspectiva de Sam atrás do bar, com Theo nos jogos e com Jack ao leme na jangada.

Acredito que a leitura nos faz isto: faz-nos experimentar mil coisas que de outra forma não conseguiríamos experimentar. 

É uma história muito rica, sem palha! Nas primeiras 100 páginas senti que já tinham acontecido tantas coisas que o livro parecia já ir a meio, mas houve muitas mais aventuras (e ainda bem!).

Houve muitos momentos de ficar sem fôlego, muita emoção e muitas vezes dei por mim de coração partido com o sofrimento de Beth.

As únicas coisas que ficaram a desejar foram: 1) Algumas descrições relativamente às personagens e roupas da época; e 2) o nome do livro, cujo título original é "Gypsy" (Cigana) e em Português o título ficou "A Melodia do Amor", como se o livro fosse apenas "mais um" romance e não sobre a jornada desta pacata rapariga inglesa com garra, um dom para a música e que ficou conhecida como Rainha Cigana nas cidades por que passou.

Não obstante, este livro merece 4 estrelas.

Classificação: ★★★★☆ (4/5)


quinta-feira, 14 de junho de 2018

Maratona Literária Verão 2018 | Momentos de Ataraxia

Com o início do Verão pensei desafiar-me e fazer uma maratona literária e porque não convidar-vos a fazê-la comigo?

Reuni então uma lista de temas para esta maratona, cuja ordem de leituras pode ser aleatória.


1. Um livro para ler um 1 dia

Porque por vezes basta ler um livro curto para nos agarrar ao mundo da leitura e nunca mais querermos sair.

2. Um livro que te intimida

Lê aquele livro que por algum motivo de intimida. Enfrenta esse "medo" e toca a ler!

3. Um livro fora da tua zona de conforto

Um livro de um autor que não conheces, um género diferente. Vale tudo nesta categoria, desde que saias da tua zona de conforto!

4. Lê o livro que está estacionado na tua estante há mais tempo

Sim, aquele que é sempre ultrapassado pelos livros que compraste mais recentemente. Lê esse coitado!

5. Um livro com capa branca

Este tema deve-se simplesmente ao facto de eu deixar colocar os livros com capa branca sempre no fundo da estante dos livros a ler... Não sei bem porquê, mas acho que é porque tenho medo de manchar aquela capa imaculada e por isso deixo-os sempre de lado. Este é outro tema que me irá desafiar bastante e espero que a vocês também.

6. Um livro que abandonaste

Este vai ser um desafio porque se abandono um livro é porque não gostei mesmo nada dele! Mas pronto, se o desafio fosse para ser fácil nem o fazia!

7. Relê o teu livro favorito

O pior é que não tenho só um livro favorito, pelo que vou ter que escolher um dos meus favoritos!

8. Um livro que ganhou um prémio literário

O prémio não tem que ser obrigatoriamente do teu país, apenas tem que ter ganho um prémio literário.

9. Um livro indicado por alguém

Conversa com alguém que leia e pergunta-lhes um livro que te recomendam. Depois mete mãos à obra e dá a tua opinião.

10. Um livro que foi adaptado para filme/série

Este será relativamente fácil de encontrar, mas para quem ainda tem dúvidas eu irei fazer um post sobre livros que quero ler antes de ver o filme/série. Por isso fiquem atentos! ;)

🌳

Gostaram dos temas? Pensam acompanhar-me nesta maratona? Caso me acompanhem nesta maratona usem a hashtag #maratonamomentosdeataraxia nas redes sociais! :) A maratona irá decorrer do dia 21 de Junho até ao dia 22 de Setembro.

Maratona



quarta-feira, 13 de junho de 2018

Sunshine Blogger Award




Fui nomeada para o Sunshine Blogger Award pela Patrícia do blog MissDeBlogger. Fiquei muito feliz quando a Patrícia me disse que me tinha nomeado e desde já agradeço-lhe que se tenha lembrado de mim!

Em primeiro lugar, importa lembrar as regras do Sunshine Blogger Award:

1. Agradecer à/ao blogger que nomeou;

2. Responder às 11 questões feitas;

3. Nomear 11 bloggers e fazer 11 perguntas;

4. Colocar as regras e o logótipo no post.

Respondendo às perguntas:

1 - De que forma surgiu o nome para o teu blog?

Na realidade o meu blog já teve alguns nomes. Começou por se chamar "Suspiros do Coração", pois as publicações consistiam apenas em textos meus, depois mudei para "The Lonely Tree", cujo motivo podem ver AQUI. Como nunca consegui mudar o link do blog, pois já havia um blog com esse nome e link (apesar de ter a última publicação de 2012)  e como não podia ter um nome e outro como link, decidi então que tinha que mudar para um nome que estivesse em concordância.

Por fim decidi que o nome que melhor se adequava era "Momentos de Ataraxia" visto que para além de serem os meus momentos de descontracção, espero que qualquer um que leia as minhas publicações se sinta tranquilo.

2 - Qual é o/a blogger que escolherias para fazer uma colaboração contigo e porquê?

Eu amo o blog e canal da Nuvem Literária, pelo que gostaria muito de um dia fazer colaboração com ela. A Ju é muito simpática, responde aos directs super rápido e com a maior humildade.

3 - Escolherias viver num mundo cheio de livros à tua disposição ou imerso em novas tecnologias?

Livros à minha disposição como é óbvio!



4 - Se pudesses escolher um local no mundo (fora do país onde resides) para estar agora, qual seria?

Nova Iorque. Sim, eu sei é cliché mas eu gosto de clichés. Escolheria Nova Iorque pelo seu ar citadino e correria de pessoas que têm sempre algo pelo que correr e aspirar. De momento precisava de observar toda essa cena, talvez me inspirassem a mim também a ir em busca dos meus sonhos.

5 - Imagina que te era atribuído um Patronus (ou espírito animal). Qual gostarias que fosse?

Um gato. Porque amo gatos e quem segue o meu Instagram (@brendafrc) sabe disso! :D 


6 - Qual é o livro ou obra literária do qual gostarias de fazer parte e qual seria o teu papel?

Hum esta é difícil! Mas gostaria de fazer parte do livro "A Seleção" e viver no meio de toda aquela magia do amor entre a America e o Maxon. E óbvio: no meio de todos aqueles vestidos incríveis!

O meu papel seria de amiga da America, simplesmente isso. Poder seguir de perto esta maravilhosa personagem.


7 - Qual é o filme ou série do qual gostarias de fazer parte e qual seria o teu papel?

Gostaria de fazer parte do filme "Um Reino de Sonhos". Faria o papel da Jennifer porque ela é muito corajosa.


8 - Assume a tua identidade e diz-nos qual é a banda sonora da tua vida?

Uiii esta pergunta é difícil! Talvez a banda sonora que melhor me caracteriza é a de The Vampire Diaries (Diários de Vampiro). Não só uma das músicas, mas todas acabam por descrever o meu espírito romântico.





9 - Rápido, a sessão vai começar! Pipocas doces ou salgadas?

Salgadas. SEMPRE!

10 - Por último, viaja até ao Passado e traz o teu brinquedo preferido de infância. Qual é?

Uma boneca de porcelana que eu levava para todo o lado. Eu vi uns desenhos animados que a protagonista tinha uma boneca de porcelana e ia com ela para todo o lado e eu fazia o mesmo. Desde os meus 6/7 anos que não a vejo.



Vou nomear:




E têm que responder às seguintes questões:


1. Que frase te define?

2. Há quanto tempo és blogger?

3. Qual o teu post preferido que publicaste no blog?

4. Qual o teu autor preferido(a)?

5. Qual o teu livro e filme favorito?

6. Se fosses um tributo nos Hunger Games qual era a primeira coisa que fazias mal soasse o alarme de início dos Jogos?

7. Foste raptada e quem te vai salvar são os personagens da última série/filme que viste ou do último livro que lês-te. Diz-nos quem são e se estarias em boas mãos.

8. Se pudesses escolher um sítio (real ou imaginário) para viver, qual escolherias?

9. Qual é a tua estação do ano favorita?

10. Se ganhasses o euromilhões qual seria a primeira coisa que farias com o dinheiro?

11. O que te deixa feliz imediatamente?


Espero que tenham gostado! Até ao próximo post ;)



terça-feira, 12 de junho de 2018

5 Filmes para uma Girls Night

1. Como perder um homem em 10 dias


Uma ótima comédia romântica. Ela tem a tarefa de escrever um artigo com o tema "Como perder um homem em 10 dias", ele fez uma aposta com os amigos de como irá conseguir fazê-la apaixonar-se por si. Mas nenhum sabe dos objetivos um do outro, pelo que enquanto um tenta fazer de tudo para acabarem, o outro tenta que surja amor. Como podem supor, vão haver inúmeras cenas engraçadas pelo que se querem descontrair este filme é um must see. 

2. O Diabo Veste Prada


É sobre uma aspirante a jornalista que vai trabalhar para uma revista de moda e acaba por se perder naquele mundo. É inevitável fazermos tudo para que o(a) nossa(a) chefe se orgulhe do nosso trabalho, mas  não vale perder os amigos e caráter e é nisso que o filme incide.

3. Como ser solteira




Um filme cómico e sobre como qualquer amizade pode curar o espírito depressivo que às vezes se abate sobre nós.

4. Gifted



Este filme é sobre uma menina muito inteligente que se vê no meio da luta entre o tio, que apenas quer que ela seja  uma simples criança e aproveite a sua infância, e a avó que quer explorar as capacidades dela ao máximo e colocá-la nas melhores faculdades para desenvolver a sua inteligência.

Gostei muito da pequena atriz que faz de protagonista, souberam escolher muito bem!


5. A Idade de Adaline



Um filme muito amorzinho que envolve magia, romance e Blake Lively. Um filme mais calminho para quem prefere coisas mais românticas.

🌳

Gostaram das minhas sugestões? Têm outras ideias de filmes para uma Girls Night? Digam-me tudo nos comentários! ;)


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Mil Vezes Adeus de John Green

Aza é uma jovem peculiar. É aparentemente normal, porém as suas espirais de pensamento asfixiantes dificultam-lhe a vida. Sofre horrores com os seus graves problemas de ansiedade, não consegue tirar da cabeça o pensamento de que vivem milhões de bactérias dentro de si, à espera de a pôr doente, e passa o dia a mudar o penso rápido no seu dedo médio, que fere constantemente numa tentativa de perceber se é real.

Davis é apaixonado por estrelas, poeta, solitário e... o filho mais velho do bilionário Russell Picket, que desapareceu misteriosamente na noite anterior a uma busca policial à sua casa.

Ambos perderam pessoas que amavam, acabando por se conhecer num acampamento, e criando laços que, anos mais tarde, os volta a unir quando o pai de Davis desaparece e é oferecida uma recompensa de 100 mil dólares a quem tiver informações sobre o paradeiro deste.

Aza é então impulsionada pela sua melhor amiga, Daisy, a reconectar-se com Davis, de modo a tentar obter o paradeiro do bilionário e tentar ganhar a recompensa.


Green


As personagens são uma mistura de maravilhosas, estranhas e fascinantes. Tem a dose certa para nos agarrar ao livro.

Existem duas "narrações" implícitas neste livro, isto é, uma narração interna e uma externa. A externa é todo o enredo sobre o qual fala a sinopse, a interna é sobre o TOC e transtorno de ansiedade de Aza.

Apesar da sinopse parecer que o livro vai ser sobre uma aventura ou algo no género de livro de detetives, não se deixem enganar, esse, a meu ver, é um enredo secundário. O enredo principal é a batalha interna de Aza.

Este livro fala sobre ansiedade, perda e sobre a superação das mais difíceis batalhas: as que travamos dentro de nós.

É uma masterpiece de introspeção e descobertas sobre nós e o universo.

É um livro muito lindinho. Perfeito mesmo! É aquele livro que lava a alma e tira ressacas literárias num estalar de dedos.

Incrível como o autor conseguiu descrever aquilo que uma pessoa com transtorno de ansiedade sente e, apesar da ansiedade se manifestar das mais variadíssimas formas, penso que ele conseguiu captar muito bem a espiral de pensamentos pela qual alguém com ansiedade passa.

É muito difícil explicar a ansiedade e através das suas metáforas John Green conseguiu alcançar algumas formas de traduzir em palavras algo tão difícil de se sentir (quanto mais explicar...).


Vi partes de mim representadas neste livro que nunca soube traduzir em palavras.


Ao longo do livro dá para se perceber claramente que as facetas da fase "ansiosa" e da fase "normal" estão um pouco descompensadas, num momento Aza está bem e no outro está a entrar em ataque de pânico. Green soube muito bem mostrar o que é que uma pessoa que entra em pânico sente: falta de controlo sobre o seu corpo e mesmo que de início tentes ganhar essa guerra, perdes sempre a batalha conta o teu cérebro. Ele vence-te pelo cansaço... Porque se não o ouvires a ansiedade nunca vai parar...

É preciso ser de uma sensibilidade extrema, ter um dom incrível para as palavras e, acima de tudo, é preciso saber estar na pele de alguém com este transtorno, e John Green esteve por isso ninguém melhor que ele para descrever estes transtornos!

🌳

Em relação ao título e capa, preferia "mil vezes" a capa original, tinha muito mais significado tendo em conta o conceito do livro. A capa portuguesa passa acima de tudo aquela ideia da amizade. Além disso, apesar de ter entendido porque traduziram o título para "Mil Vezes Adeus", penso que "Tartarugas até ao infinito" tinha sido a melhor tradução... Pura a simplesmente entende-se que o livro é sobre vários adeus que se diz, o que não está completamente errado, porém a espiral de pensamentos e o universo ser composto por tartarugas sobrepostas "por ali abaixo" é o que cai como nem uma luva a toda a ansiedade da Aza que o autor nos transmite.

Daisy é uma lufada de ar fresco para Aza, mas só às vezes. Outras vezes irritou-me profundamente a sua falta de tato e de sensibilidade. Alguém como Aza tende a virar-se para dentro, porque a ansiedade assim o exige. Daisy não entendia e também devido a isso acabou por trazer Aza para a realidade e tirá-la um pouco daquele meio de silêncio em que se refugiava.

E com essas pequenas coisas vamos vendo a evolução das personagens e conseguimos perceber perfeitamente porque permanecem amigas.


O "The Guardian" diz:
"Podemos estar perante um clássico da literatura moderna." 


E eu digo: Não "podemos estar", nós definitivamente estamos perante um clássico de literatura moderna!

É um livro que deixa uma centelha de esperança a todos aqueles que sofrem de algum transtorno e não conseguem ver a luz ao fundo do túnel, ou talvez tentem ver mas o seu cérebro ansioso obriga-os a questionar tudo.


Classificação: ★★★★☆


"És ao mesmo tempo o fogo e a água que o apaga. És a narradora, a protagonista e a comparsa. És a contadora da história e a história contada. És a alguma coisa de alguém, mas és também o teu tu."



terça-feira, 5 de junho de 2018

xoxo, Gossip Girl



Muito glamour, drama, triângulos amorosos e, acima de tudo, muita Blair Waldorf. Estes motivos deviam bastar para veres esta série, mas se não bastam aqui vão mais alguns.

1. A série é muito leve

Comecei a ver há uns meses e inicialmente achei a série muito secante, pelo que nem via os episódios regularmente. Limitava-me a ver quando as minhas séries estavam em stand-by, mas depressa me apercebi que sempre que procurava uma série para relaxar a mente era esta que me vinha à mente.

E assim me tornei uma viciada em Gossip Girl.

Para quem nunca viu, esta série explora o quotiadino de um grupo de amigos pertencentes à alta classe social de Manhattan.

À primeira vista vi muitas semelhanças com uma série que vi há uns anos de nome "90210 Beverly Hills", mas confesso que em comparação, a história de Gossip Girl ultrapassa essa a milhas!

2. Blair Waldorf







Blair é aquela criatura que todos nós temos dentro de nós. E o amor dela com o Chuck? Péssimo. Abusivo, super complicado, um terror. A sério! Mas depois quando as coisas começam a entrar nos eixos e o Chuck deixa de ser idiota até shipei.






3. A amizade entre a Serena e a Blair

Apesar de tudo, elas continuam a lutar pela sua amizade e a evoluir enquanto amigas e pessoas. Mostram-nos que mesmo errando qualquer pessoa merece uma segunda oportunidade (ou umas mil no caso delas ahahah).







4. Vanessa Abrams

Lembra-nos que todas conhecemos aquela pessoa que tenta ser Blair, tenta ter o que Serena tem e não consegue nada mais nada menos que fazer porcaria. Há sempre aquela pessoa que anda no mundo porque vê os outros andar. Se conheces alguém assim, essa pessoa é a Vanessa Abrams.





5. A Gossip Girl

Em primeiro lugar o facto de termos um ser aparentemente omnipresente a divulgar todos os segredos dos nossos queridinhos dá um caráter viciante à série.

Mas e quem é a Gossip Girl?

Ahhh isso agora...! Eu tive muitas teorias até ao fim da série e quando se descobriu quem era não fiquei lá muito surpreendida! Na verdade achei o fim muito mal feito.




6. A trilha sonora

A trilha sonora lembra-me aqueles tempos de adolescência (talvez porque passou naquele tempo e tu só viste a série agora, né Brenda?)



7. Dan e Serena

Meu ship do início ao fim! Deixo uns vídeos para shiparem comigo.