sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Um Safari Geológico em Santa Maria | Paula Botelho (texto) e Paula Rocha (ilustrações)

 

Sinopse: "Um safari geológico em Santa Maria" conta a história de uma expedição de um grupo de seis crianças que vai participar numa expedição à descoberta do passado geológico da ilha mais antiga dos Açores, a ilha de Santa Maria.

A viagem conduzida pelo professor Cagarro, um geólogo experiente, reserva-lhes uma aventura realmente inesquecível e empolgante, onde não vão faltar emoções e muitos mistérios. Ao longo da rota encontram vulcões, fósseis marinhos e afloramentos de lavas em almofada, que desafiam a curiosidade dos pequenos exploradores. Tudo parece ainda mais estranho quando se deparam com vestígios de uma antiga praia elevada a mais de 100 metros de altitude. Afinal, o que aconteceu nesta ilha?

Em "Um Safari Geológico em Santa Maria" acompanhamos a expedição de seis crianças pela ilha de Santa Maria sob a orientação do professor Cagarro. Nesta visita de estudo, passam pelos pontos mais importantes da formação da ilha e descobrem todo um conjunto de eventos que remontam de há milhões de anos e que transformaram a ilha no que ela é hoje.

"Um Safari Geológico em Santa Maria" conta-nos de uma forma descomplicada a história geológica da Ilha de Santa Maria.

Para quem vive na ilha e pouco sabe sobre a sua formação, esta é uma boa oportunidade para ler e conhecer o património geológico da ilha, tornando este livro perfeito para pequenos e graúdos.

As ilustrações combinam a pintura com as colagens e são absolutamente perfeitas! A ilustradora, Paula Rocha, criou toda uma combinação entre os desenhos e as colagens que combinou perfeitamente com o texto escrito por Paula Botelho.

"Um Safari Geológico em Santa Maria" é um livro muito apelativo e que desperta no leitor curiosidade pela ilha e quem o lê passa a olhar para este pedacinho de terra de forma completamente diferente.

É, sem dúvida, um ótimo livro para oferecer às crianças (e pessoas mais crescidas, mas que são curiosas) marienses!

Conhecias o livro?

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Com amor, Brenda

terça-feira, 17 de novembro de 2020

3ª Edição do Desafio New Year With Books

Adivinhem quem está de volta? (como se não tivessem lido o título!) O Desafio New Year with Books!🎇🥳 Ora cá vão as categorias deste ano:

Categorias:

1. Ano velho: Um dos primeiros livros que compraste em 2020 e ainda não leste OU um dos livros mais antigos da tua TBR;

2. Festas: Um livro que se passe no natal ou nas festividades do ano novo;

3. Família e amigos: Um livro cujo tema principal seja a família/amizade;

4. Prendas: Livro oferecido ou indicado por uma pessoa que te é querida (ou até mesmo um self gift) - Categoria criada pela @booksbynadia, vencedora do sorteio da 2ª Edição do New Year With Books.

5. Luzes e decoração: Livro com uma capa da cor que associas ao natal;

6. Ano novo, vida nova: Termina pelo menos um livro que começaste a ler e não terminaste OU lê pelo menos uma continuação de uma série;

7. Vida "l0ka": Lê o que te apetecer.

Desafio extra (sugerido pela @booksbynadia): Fotografa o livro que estiveres a ler, ou o teu livro favorito, num ambiente natalício.


❄️

Como sempre, o objetivo do desafio é lerem o máximo de livros que têm parados nas estantes e divertirem-se muito! O desafio irá decorrer de 1 de dezembro de 2020 a 31 de janeiro de 2021.

Se tiverem alguma dúvida nas categorias podem comentar aqui neste post ou falar diretamente comigo em qualquer rede social.

À semelhança do ano passado haverá um prémio, por isso fiquem atentos às regras do desafio.

Regras:


1. São permitidos todos os formatos de livro (livro "longo", contos, BD/manga, ebook, audiobook).

2. Cada livro lido só poderá contar para uma categoria.

3. Para se habilitarem a ganhar o prémio têm que participar em, pelo menos, 2 categorias.

4. Ao completarem o mínimo de duas categorias isso equivale a apenas uma entrada no sorteio. À medida que forem completando mais categorias vão recebendo mais uma entrada por cada categoria completa, isto é: Se leram três livros (para quaisquer 3 categorias), têm duas entradas no sorteio e assim sucessivamente.

5. Depois de completadas TODAS as categorias recebem uma entrada extra por cada livro que lerem para a categoria 7 ("lê o que te apetecer"), até um máximo de 2 entradas extra nesta categoria.

6. Para ganharem a entrada do Desafio Extra (do qual poderão acumular apenas 1 entrada) só têm que publicar a foto nos vossos stories ou feed do instagram identificando-me. É importante que me identifiquem para que eu saber que cumpriram o desafio e adicionar a vossa entrada no meu excel.

7. Além disso, para te habilitares ao sorteio do prémio, tens que me seguir no instagram (@brendafrc) ou na página do facebook (www.facebook.com/momentosdeataraxia).

8. Muito importante: só serão habilitados para o sorteio caso, pelo menos, um dos sites Wook, Bertrand, Book Depository ou Amazon envie para a vossa morada.

O(A) feliz contemplado(a) poderá escolher um livro ou vários até um máximo total de 20 euros nos referidos sites da Wook, Bertrand, Book Depository ou Amazon (sendo que o valor dos portes estará incluído no valor do prémio do sorteio).

Para eu ter uma noção de quantas pessoas se encontram a participar preenche este formulário.

Além disso, atenção que só se habilitarão ao sorteio final os participantes que preencherem este formulário de participação até ao dia 2 de fevereiro com as leituras que fizeram. O resultado do sorteio será anunciado no dia 15 de Fevereiro.

Posto isto, convido-vos a se juntares ao grupo: New Year with Books e a utilizarem a tag #newyearwithbooks2020 nas vossas publicações.

Gostaram? Posso contar com a vossa participação?

Boas leituras!

Com amor, Brenda

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Encantamento | Alice Hoffman

(if you want to read this post in english, scroll down. The english review is after the portuguese one)

Sinopse: Estrella deMadrigal pensava que sabia quem era: filha, neta, irmã, melhor amiga, amada. Ela é a Estrela no Céu Nocturno, a Verdade no meio da Escuridão. Mas, em Espanha, neste século cruel e impiedoso, a verdade é um bem precioso e raro. Os judeus que recusam a conversão ao Cristianismo arriscam tudo o que têm: o amor, a vida, a família e a fé. A certa altura, uma descoberta espantosa abala profundamente a existência de Estrella. E no entanto, esta mudança devastadora é provocada por algo pequeno e doce. Um beijo. O beijo de alguém que Estrella está proibida de amar. À medida que uma nova rapariga emerge do casulo de segredos no qual foi criada, a paixão desponta e a amizade desmorona-se - a traição acaba por libertar um monstro maligno das profundezas da terra. Estrella dá por si numa situação que nunca julgou ser possível; é alguém que nunca imaginou ser.

Encantamento é um livro que nos envolve numa história que se desenrola em Espanha, numa aldeia em que todos se conhecem num tempo em que ser judeu ou simplesmente a acusação de o seres te incrimina e coloca na fogueira.

Encantamento é um livro sobre o custo da inocência, sobre a ingenuidade de acharmos que todos os que amamos nos querem bem.

Apesar de ser um livro pequeno achei que a história não foi apressada, cada evento foi acontecendo a seu tempo, em que nos são revelados pequenos detalhes aos poucos à medida que a história avança. Detalhes esses que só se encaixam quase no fim da história.

A Estrella, a nossa protagonista, começou como uma jovem simples, com uma inocência tão perigosa sendo ela quem é e confiante na bondade daqueles que conheceu a vida toda. O coração chega a doer-nos ao vermos as desilusões que ela sofre, a maldade com que a tratam...

É um livro que se lê rapidamente, com uma história que sendo ou não ficção neste caso, por ser baseada em factos históricos foi uma realidade para muita gente, mas bem... não me quero alongar muito, porque o livro é já de si pequeno e se eu me puser aqui a contar o que acontece deixa de ter piada. Por isso, simplesmente, leiam este livro.

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Com amor, Brenda 


In English:

Synopsis: From a New York Times bestselling author comes a journey of loss and rebirth with a startling premise inspired by historical fact. Estrella is a Marrano: one of the Spanish Jews living double lives when those who refused conversion risked everything. Estrella's discovery that her family secretly practices the ancient way of wisdom known as kabbalah leads her to her true self and true love-but also to a devastating confrontation with unimaginable evil, unleashed by the betrayal of a friend. With themes of faith, friendship, and persecution, Alice Hoffman's tragic and beautiful novel resonates profoundly in our times.

Incantation is a book that involves us in a story that takes place in Spain, in a village where everyone knows each other at a time which being a jew or simply been accused of being one incriminates you and puts you in the fire pit.

Incantation is a book about the cost of innocence, about the naivety of thinking that everyone we love wants us well.

Despite being a small book I thought the story was not rushed, each event was happening in its own time, in which small details are revealed to us little by little as the story progresses. Details that only fit almost at the end of the book.

Estrella, our protagonist, started out as a simple young woman, with such a dangerous innocence being who she is and confident in the kindness of those she has known her whole life. Our heart hurts when we see the disappointments she suffers, the evil with which she is treated...

Incantation is a book that can be read quickly, with a story that being fiction or not in this case, is a historical fact and was a reality for many people, but well... I do not want to dwell too long, because the book is already small and if I start telling you what happens I will spoil the reading for you. So, just read this book.

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

With Love, Brenda 

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

May day (Seekers #1) | Josie Jaffrey

(if you want to read this post in english, scroll down. The english review is after the portuguese one)

Mais uma vez Josie Jaffrey traz-nos os seus singulares vampiros que nos fazem desejar ser Silver.

E antes de começar a resenha queria deixar isto bem presente: adoro os vampiros da Josie! Adoro que a autora não faça com que tudo gire à volta do sangue, o beber sangue, o matar por sangue e sobre constantes descrições sobre o quão bom é o sangue humano.

Sim, eles são vampiros, mas sabem controlar-se (os que são civilizados *cof cof* not Felton) e vivem praticamente como humanos, apenas com as diferenças anatómicas que advém da sua condição de vampiros e precisam de sangue para sobreviver.

Já agora, se querem perceber que tipo de vampiros falo, vejam a minha review do livro The Gilded King.

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela autora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 

Em primeiro lugar gostaria de agradecer novamente à Josie por me ter cedido este exemplar do seu livro!

Compra o livro aqui: Amazon | Página da Autora

Jack Valentine é um membro dos Seekers, um género de Polícia Judiciária dos Vampiros, e tem que investigar um homicídio, que ao que tudo indica, foi causada por um Silver. E Jack está "mortinha" por provar que foi Killian Drake (o seu arquinimigo já conhecido da prequela Killian's Dead) o responsável pelo assassinato de David Grant. Mas tudo aponta para a inocência de Killian (pelo menos neste caso) e Jack vê-se obrigada a ter que cooperar com o Barão de Oxford para poder conseguir seguir as pistas a que o seu caso a leva. 

🍂

Se eu tinha ficado meia relutante com a Jack Valentine em Killian's Dead, este livro tirou todas as minhas dúvidas de que esta personagem tem um potencial gigante!

Por causa da prequela entrei meia incerta em May Day e confesso que foi a presença de Cam (a personagem já é conhecida, pelo menos, da série Sovereign que li e já resenhei: The Gilded King, The Silver Queen e The Blood Prince) que me fez entusiasmar com este livro nas primeiras 100 páginas, mas depois daquele período típico de enquadramento na história a Jack começa finalmente a tomar decisões ousadas e isso fá-la crescer horrores enquanto personagem. E isso transforma completamente a história!

Passaram-se cerca de 20 anos desde a prequela até ao momento inicial do livro, mas é no intervalo desde o início do livro até ao seu fim, que nem dura meio ano, que é notório o crescimento da Jack.

Sobre a resolução do assassinato de David Grant, achei o processo um pouco complicado de início, sem  muitas pistas a serem dadas, mas gostei bastante da forma como tudo se resolveu no fim.

E o ship? Eu vivo para romances de amor-ódio! Não se nota nada a romântica em mim.

MAAAS, não sei que ship devo gravar numa árvore com um coração: J+T or J+K... Já vos disse que também amo triângulos amorosos? hahah

Já leste este livro? Se não, ficaste curiosa(o)? :) (caso tenhas ficado curiosa(o) confere os alertas de conteúdo deste livro ;) )

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Deixo-vos um vídeo da Josie a ler um pouco de May Day:


Com amor, Brenda 

In English:

Once again Josie Jaffrey brings us her unique vampires that make us want to be Silver.

And before I start this review I wanted to make this clear: I love Josie's vampires! I love that the author doesn't make everything to be about human blood, drinking blood, killing for blood and constant descriptions about how good human blood is.

Yes, they are vampires, but they know how to control themselves (those who are civilized *cof cof * not Felton) and live practically like humans (the difference is that they have anatomical particularities that come from their condition as vampires and therefor they need blood to survive).

By the way, if you want to understand what kind of vampires I'm talking about, check out my review of the book The Gilded King.

Now let's get to the review:

🍂

First of all, I would like to thank Josie again for giving me this copy of her book!

Disclaimer: This book was sent to me by the author in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

Buy the book: Amazon | Página da Autora

Jack Valentine is a member of the Seekers (kind of a Vampire CSI) and has to investigate a homicide, which is apparently caused by a Silver. And Jack is "dead" to prove that it was Killian Drake (his archenemy already known from the prequel Killian's Dead) who was responsible for the murder of David Grant. But everything points to Killian's innocence (at least in this case) and Jack is forced to cooperate with the Baron of Oxford in order to be able to follow the clues that her case leads to.

🍂

If I had been half reluctant with Jack Valentine in Killian's Dead, this book took away all my doubts that this character has huge potential!

Because of that prequel, I entered with uncertainty on May Day and I confess that it was the presence of Cam (the character is already known, at least, from the Sovereign series that I read and reviewed: The Gilded KingThe Silver Queen and The Blood Prince) that it got me excited about this book in the first 100 pages, but after that typical period of getting to know the main character and when Jack begins to make bold decisions and that makes her grow so much as a character. There was a bold choice that completely set a "mark" in this story and transformed it!

About 20 years have passed since the prequel to the beginning of the book, but it is in the interval from the beginning of the book to the end, which doesn't even last half a year, that Jack's growth is notorious.

About the solving of the mystery of David Grant, I think it was a bit slow at first, but I really loved how it turned out.

And the ship? I live for love-hate novels! I live from that kind of romance!

Buuut, I don't know which ship I should carve in a tree with a heart: J+ T or J + K ... Have I even said that I love stories with love triangles too? hahah

Have you read this book? If not, are you curious? :) 

Rating: ★★★★☆ (4,4/5)

Check out this video of Josie reading a bit of May day:


With Love, Brenda 

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Vantagens de ler em ebook

Hoje é o Dia Internacional de Ler um Ebook, um dia celebrado com o objetivo de promover a leitura digital.

Tenho lido poucos ebooks nos últimos meses, porque ando a tentar "dar vazão" à minha (cada vez maior) TBR de livros físicos! Portanto, ebooks só tenho lido os de parceria mesmo e este é um deles (e ninguém melhor do que a minha expert em sedução lá de casa para posar para a foto).

Mas hoje trago-te este post para evidenciar algumas das vantagens que encontro nos ebooks. Ora cá vão:

1. Podes ajustar a luz e o tamanho da letra

Hoje, por exemplo, vou acampar, pelo que vou poder ler à vontade sem ter que precisar de iluminar o livro com uma lanterna.

A última vez que acampei li o livro "Ponto Sem Retorno" da Gaby quase todo (podem consultar a resenha AQUI).


2. Podes ler em qualquer sítio desde que tenhas o teu smartphone

Quando me esqueço de levar um livro físico, tenho sempre acesso à minha biblioteca no kindle no telemóvel. Até me posso esquecer das chaves de casa, mas o telemóvel vem sempre comigo, portanto tenho sempre lá uma "montanha" de ebooks que adquiri na Amazon para ler (não se riam quando digo montanha, estive a tentar fazer uma listagem no excel há uns meses e já tenho lá 400 e tal livros e nem vou a metade! Escusado será dizer que com o susto comecei a procrastinar e nunca mais completei a listagem...).

Conheces o Bookbub? Todos os dias recebo email com as promoções e livros grátis do dia, especialmente da Amazon (também dá resultados para o Kobo, Apple, B&N, etc). Por isso, quando vejo algum que me interessa adquiro e ele fica disponível no meu kindle.


3. Podes deixar aquele calhamaço que andas a ler em casa

Estás a ler um livro muito grande e não queres largar a leitura, mas tens mesmo mesmo que sair de casa. O que fazes? Simples, levas o ebook para ler fora de casa sem ter que transportar o tijolo. Eu fiz isso com The Ballad of Songbirds and Snakes e foi a melhor coisa!


4. Se és um bookstagrammer com parcerias podes aceitar ebooks para resenhar

I know, gostamos de ver o livro bonitinho na estante e há quem só aceite físico por isso mesmo. Mas para quem não se importa de ler em ebook esta é uma boa opção de lerem e ao mesmo tempo ajudarem a divulgar o trabalho de autores novos.

Podes consultar algumas resenhas em que me cederam os ebooks para resenhar no separador "Parcerias/ Colaborações".


5. Se tens falta de espaço para livros na tua casa, ebooks são uma ótima opção

Para mim este é um grande ponto positivo, pois os ebooks só ocupam espaço virtual e quando viajamos muito ou nos mudamos de casa frequentemente é bom considerar esta possibilidade de ler em digital e ter uma biblioteca que não precisamos de andar sempre a empacotar em caixotes.

🍁

O meu problema geralmente é na parte de tirar fotos ao tablet para depois fazer a divulgação, mas tenho que aplicar as dicas da Ana Reis sobre isto, ora espreita lá o post dela sobre isto: clica aqui!

E vocês gostam de ler ebooks? Convido-vos a celebrar este dia usando a tag #eBookLove .

Com amor, Brenda 

terça-feira, 11 de agosto de 2020

O Comboio das Crianças (Il treno dei bambini) | Viola Ardone



Em primeiro lugar, agradeço à Porto Editora por me mandar um exemplar para opinião!

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 
Sinopse:
Nápoles, 1946
Amerigo, um menino de sete anos, deixa a vida que sempre conheceu em Nápoles e parte num comboio. Não sozinho, mas no meio de milhares de outras crianças do Sul de Itália que atravessam o país para passarem alguns meses com uma família do Norte, enquanto a sua terra natal se reconstrói do caos e da destruição.
Com o espanto típico de uma criança de sete anos e a astúcia de um rapaz de rua, Amerigo mostra-nos uma Itália que renasce da guerra e conta-nos como, mesmo renunciando a tudo - até ao amor da própria mãe -, é nessa viagem que descobre o seu verdadeiro destino.
Um romance apaixonante sobre uma pequena testemunha de uma Grande Guerra e da sua luta pela sobrevivência e pelo amor. O fenómeno italiano vendido para 25 países que irá derreter o seu coração.
Compra em: Wook | Bertrand

Em O Comboio das Crianças conhecemos a história de Amerigo Speranza, um miúdo pobre do Sul de Itália (1946), que observa a vida com a curiosidade e inocência de uma típica criança de 7 anos, mas que de típico este rapazinho tem pouco.

O Amerigo é uma criança tão especial em tantos sentidos. Viola Ardone consegue cativar-nos com esta história por a narrar através dos olhos de uma criança com tamanha inocência perante a pobreza em que vive diariamente.

A história de Amerigo tocou-me de forma muito especial, pois eu própria sou um Amerigo (embora perante diferentes circunstâncias) dividida entre o amor a dois sítios que me receberam e recebem tão bem. Compreendo muito bem a divisão que ele sente e penso que a autora fez um excelente trabalho ao mostrar que estas crianças acolhidas no Norte nunca mais serão as mesmas: terão sempre duas casas e duas famílias.

É um livro que se lê rapidinho, de tão amorosa e divertida que é a narrativa de Amerigo. 

Porém, este livro tem um senão... Não gostei muito da última parte da história e da sua narração e até achei os últimos capítulos um pouco aborrecidos. Mas, de uma forma geral, gostei muito do livro e aconselho este livro a todos os que gostam de uma boa história contada pelos olhos inocentes de uma criança e que desconhecem esta parte da história em que se mandaram crianças do Sul de Itália para passarem uma temporada no Norte enquanto o país se reerguia da guerra.

Classificação: ★★★★☆ (4,4/5)

Com amor, Brenda 

In English:


First of all, I would like to thank Porto Editora for sending me this copy to review!

Disclaimer: This book was sent to me by the publisher in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

(I didn't found an English synopsis so I translated it myself 🤷‍♀️) 

Naples, 1946
Amerigo, a seven-year-old boy, leaves the life he has always known in Naples and enters on a train. Not alone, but in the midst of thousands of other children from southern Italy who travel across the country to spend a few months with a family from the north, while their homeland is rebuilt from chaos and destruction.
With the typical amazement of a seven-year-old child and the cunning of a street boy, Amerigo shows us an Italy that is reborn from war and tells us how, even renouncing everything - even his mother's love -, it is in this trip that he discovers his true destiny.
A passionate novel about a small witness to a Great War and its struggle for survival and love. The Italian phenomenon sold to 25 countries that will melt your heart.

In The Children's Train we learn the history of America Speranza, a small boy from the South of Italy (1946), who observes the life with the curiosity and innocence of a typical 7-year-old child.

Amerigo is such a special child in so many ways. Viola Ardone manages to captivate us with this story by narrating it through the eyes of a child with such innocence in the face of the poverty in which he lives daily.

Amerigo's story touches me in a very special way, because in a certain way I feel like Amerigo himself (although in other circumstances) divided between the love of two places that received me and still receive me so well. I understand very well the division he feels and I think the author did an amazing job showing that these children welcomed in the North will never be the same: they will have forever two houses and two families.

This is a quick reading. Amerigo's narrative is so loving and fun.

However, this book has a catch... I didn't like the last part of the story and its narration. I even found the last chapters a little boring. But in general, I really liked this book and I advise this book to all those who like a good story told through the innocent eyes of a child. And I also reccomend this book to those who are unaware of this part of the story in which children from southern Italy were sent to spend a season in the north while the country was rising from the war.

Rating: ★★★★☆ (4,4/5)

With Love, Brenda 

sábado, 11 de julho de 2020

A Décima Ilha (The Tenth Island) | Diana Marcum


Sinopse:
A repórter Diana Marcum está a sofrer uma crise. Envolvida por uma tristeza pessoal há muito enterrada - e com a sua carreira parada - descobre um grupo incomum de imigrantes que moram na zona rural da Califórnia. Ela segue-os, na sua viagem anual de regresso às remotas ilhas dos Açores, onde os touros correm pelas ruas, existem vulcões ativos e as pessoas inventam festas para combater a saudade - um sentimento tão profundo que a palavra não tem tradução para outros idiomas.

Uma viagem pelas ilhas dos Açores, onde a repórter Diana Marcum, com a companhia do seu labrador Murphy, descobre que ainda existem coisas pelas quais anseia - e uma delas poderá ser um amor inesperado.
Se esperam que este seja um daqueles livros de viagens, quase como um guia gastronómico ou cheio de lugares tipicamente turísticos, não se iludam. 

A Décima Ilha é sim um livro sobre viagens, mas não propriamente de viagens por sítios físicos, mas por pessoas. Conhecemos as histórias de emigrantes que todos os anos retornam à ilha mãe e conhecemos a autora que cresceu espiritualmente e se tornou numa açoriana de coração. 💙

Gostei muito do livro, mas enquanto açoriana, gostava que ela se envolvesse mais com o sítio, que tivesse descrito mais a ilha, se tivesse envolvido mais com as pessoas da Terceira e não se baseasse apenas em ouvir pedaços das suas histórias. Mas também entendo que ela não é propriamente uma turista "normal", ela não veio visitar pelo sítio em si, veio perceber o fenómeno que move estas pessoas a regressar todos os anos. Diana faz um papel de observadora e o seu dom é ouvir e recolher histórias que as pessoas estão dispostas a contar. 

A Décima Ilha é uma tentativa de mostrar como é um verão para os emigrantes e é um relato cru, sem descrições desnecessárias, do que é o regresso a casa de pessoas que tiveram que ir para longe procurar uma vida melhor. 

Compra o livro: Cultura Editora | Wook | Bertrand

Este livro só provou uma coisa: quem visita as ilhas leva um bocadinho de nós e deixa um pouco de si aqui.

Não há hipótese, quem nos visita fica tão dependente de um regresso como um toxicodependente à espera da próxima dose! Mas venham é aos Açores, ok? Que esse seja o vosso vício!

Agradeço à Cultura Editora pela cedência do exemplar!

Aviso Legal: Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma resenha honesta. Todas as opiniões expressas nesta resenha são completamente minhas. 

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Com amor, Brenda 

In English:

Synopsis:
From a Pulitzer Prize–winning writer comes an exuberant memoir of personal loss and longing, and finding connection on the remote Azorean Islands of the Atlantic Ocean.

Reporter Diana Marcum is in crisis. A long-buried personal sadness is enfolding her—and her career is stalled—when she stumbles upon an unusual group of immigrants living in rural California. She follows them on their annual return to the remote Azorean Islands in the Atlantic Ocean, where bulls run down village streets, volcanoes are active, and the people celebrate festas to ease their saudade, a longing so deep that the Portuguese word for it can’t be fully translated.

Years later, California is in a terrible drought, the wildfires seem to never end, and Diana finds herself still dreaming of those islands and the chuva—a rain so soft you don’t notice when it begins or ends.

With her troublesome Labrador retriever, Murphy, in tow, Diana returns to the islands of her dreams only to discover that there are still things she longs for—and one of them may be a most unexpected love.

An Amazon Charts Most Read book.

If you expect this to be one of those travel books, almost like a gastronomic guide or full of typical tourist places, make no mistake, it isn't.

The Tenth Island is indeed a book about travelling, but not exactly travelling through physical places, but by people. In this book we discover the stories of emigrants who return to the mother island every year and we get to know the author who grew up spiritually and became an Azorean at heart. 💙

I really liked the book, but as an Azorean, I would like it to be more involved with the island itself, I would loved to have read more descriptions about the island itself, to have been more involved with the people of Terceira and not to rely solely on listening to pieces of their stories. But I also understand that Diana is not exactly a "normal" tourist, she did not come to visit the place itself, she came to understand the phenomenon that moves these people to return every year. Diana is an observer and her gift is to listen and collect stories that people are willing to tell.

The Tenth Island is an attempt to show what a summer is like for emigrants and is a raw report, without unnecessary descriptions, of what it is like to return home to people who had to go far away to look for a better life.

This book proved just one thing: anyone who visits this islands takes a little bit of us and leaves a little bit of himself/herself here.

There's no chance, whoever visits us is as dependent on a return as a drug addict waiting for the next dose! But come to the Azores, ok? May this be your addiction!

I would like to thank Cultura Editora for providing the copy!

Disclaimer: This book was sent to me by the publisher in exchange for an honest review. All opinions expressed in this review are completely mine.

Rating: ★★★★☆ (4/5)

With Love, Brenda